Técnicas meditativas e a educação socioemocional

Técnicas meditativas e a educação socioemocional

A formação de um indivíduo não se dá em apenas em um aspecto. Embora muitas vezes os adultos foquem em projetos acadêmicos para crianças e adolescentes, é fato que eles também precisam estender seus conhecimentos, e muitas vezes, para dentro de si mesmos.

Isso porque o autoconhecimento e o domínio das emoções é fundamental para que o indivíduo consiga interagir com o meio e o mundo de uma forma mais harmônica, racional e empática. Ele também consegue obter melhor desempenho naquilo a que se propõem, já que alcança outro nível de concentração.

Por essa razão, a educação socioemocional deve caminhar junto com a formação acadêmica, e as técnicas meditativas são grandes aliadas nesse sentido. E a escolas perceberam isso, tanto que muitas já adotaram a meditação como parte da rotina de seus alunos.

Como as técnicas meditativas são aplicadas na escola

Em Porto Alegre há no projeto SENTE, uma inciativa do Infapa (Instituto da Família de Porto Alegre). O intuito é levar para as escolas públicas práticas de mindfulness (atenção plena), como parre integrante do projeto de educação socioemocional.

Desde o ano de 2017 o Instituto tem levado essa ideia para as escolas, com o objetivo de possibilitar aos alunos mais autoconhecimento e autocontrole. Com isso, o resultado que se tem alcançado são crianças mais atentas e menos estressadas.

As técnicas meditativas na escola precisam seguir a regra de serem laicas. Ou seja, o foco não está em crença, mas sim, no meio externo. As crianças são convidadas a fecharem os olhos e prestarem atenção nos sons ao seu redro.

Assim, elas relaxam e esvaziam a mente, focando somente em sons diversos que estão a sua volta. Com isso, ficam mais atentas, descansam e se acalmam. As técnicas ajudam, por exemplo, a minimizar a agitação de uma turma que está prestes a entrar na biblioteca.

Menos estressados, sem tensões, preocupações ou agitação, os alunos se relacionam melhor e conseguem prestar atenção ao conteúdo aplicado pelo professor. Dessa maneira aprender a dominar seus impulsos.

As técnicas de meditação e a cultura da paz

A cultura da paz é um dos temas incentivados pela UNESCO, e por meio das técnicas de meditação aplicadas nas escolas conseguimos disseminá-la. Isso porque os alunos conseguem dominar suas emoções e se relacionar mais tranquilamente.

Como não estão sob estresse e nem sentindo-se pressionados, eles não sentem necessidade de extravasar sentimentos contidos. Assim, as brigas e desentendimentos também reduzem, além de aumentarmos a tolerância entre alunos e o respeito.

Outro ponto positivo é que se um aluno consegue usufruir das técnicas para obter melhor desempenho escolar, ele também eleva sua autoestima, e isso é um estímulo que o fará focar nos estudos.

Os ganhos com a aplicação de técnicas meditativas na escola são muitas. Apenas é preciso que os responsáveis tenham o cuidado de manter a prática como laica. Assim, as crianças vão desfrutar os benefícios do foco, da atenção e da tranquilidade sem que isso venha ferir a cultura e costumes pessoais ou da comunidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *